Get Adobe Flash player
Home Pronunciamentos Pronunciamento Deputado Nelson Luersen em 02/09/2014

Pronunciamento Deputado Nelson Luersen em 02/09/2014

 

DEPUTADO NELSON LUERSEN (PDT): Sr. Presidente, Srs. Deputados, o que nos traz a esta tribuna são reclamações que temos recebido de caminhoneiros do setor produtivo, de transeuntes das estradas do Paraná. Nas últimas semanas, tivemos fortes chuvas que ocorreram no mês de junho e, de lá para cá, sabemos que o governo teve algumas dificuldades para recuperar estas rodovias. Mas, já se passaram, vamos dizer, quase 90 dias. Acho que o tempo já é o suficiente para retomarmos estas obras e também a população estar usufruindo.

Vou citar como exemplo a BR, rodovia federal, a 373, entre Candói e Coronel Vivida. Os Deputados que residem no sudoeste, que semanalmente usam esta rodovia, veem com tristeza que o desmoronamento que aconteceu vem dificultando a vida de todos os cidadãos desta região do Paraná. Inclusive, o setor produtivo vem pagando um alto preço, porque o desvio é feito por uma estrada muito pesada, que passa por Foz do Jordão, Mangueirinha, trazendo consequências a toda população daquela região. E o DNIT, infelizmente, está com esta obra em andamento, mas num ritmo lento.

 

Então, queremos cobrar do DNIT que agilize a recuperação desta obra, para que possamos, realmente, voltar a ter esta integração entre a região sudoeste e a região Central do Paraná. Outra rodovia que continua interditada, ainda, devido desmoronamentos, é a PR-484, rodovia estadual, entre Boa Vista da Aparecida e Três Barras. Há poucos dias passei por esta rodovia, cruzamos pelo desvio que faz com que o pessoal tenha condições de acessar a rodovia novamente e tinha um caminhão quebrado, devido à falta de condições de tráfego naquela rodovia - naquele desvio, aliás - e parece que o governo não está muito preocupado. A rodovia está interditada. As obras estão demorando.

Então, solicitamos ao DER que trate de agilizar esta obra, para que o setor produtivo volte a trabalhar de forma normal e a produção flua naquela região. Estive, semana passada, na região Oeste, e aqui temos vários Parlamentares daquela região, que conhecem tão bem como os demais que ali convivem. É a PR-495 - o Deputado Elio Rusch, inclusive, é daquela região, conhece muito sobre as rodovias da região - entre Medianeira e Missal. Um estado lastimável: buracos, crateras, vários cidadãos com seus automóveis no acostamento, com pneu estourado, roda danificada, suspensão dos carros sendo atingidas. Então, vejo um descaso total para com esta rodovia, a PR-495, entre Medianeira e Missal.

 

Outro trecho de rodovia que é lastimável no nosso Estado do Paraná é a BR-280, principalmente no trecho que vai do Horizonte, na PR-153 até o Município de Palmas. É um estado lamentável. Étriste vermos ali, os buracos que estão na pista, o descaso do Governo do Estado, o descaso do DER, uma rodovia das mais importantes deste Estado, que liga a região sul ao norte, que faz com que a produtividade escoe por esta região. Agora mesmo, nesta época, está descendo uma grande quantidade de milho, que está vindo do Mato Grosso para os frigoríficos do oeste de Santa Catarina, que passam por esta rodovia. E é lamentável a situação na qual se encontra o trecho entre Pato Branco e a 153, do Horizonte, que está em estado lamentável e precisa ser recuperado o quanto antes. Então, quero aproveitar este momento para cobrar do Governo do Estado do Paraná, cobrar do DER uma ação efetiva. De nada adianta o governo vir à televisão, dizer que está investindo na recuperação de rodovias, quando estamos vendo que as rodovias mais importantes deste Estado estão, realmente, em estado precário. Só não estão em estado precário as pedagiadas, porque o preço é um absurdo e, com certeza, com este preço daria para ter até rodovias melhores.

 

Também quero aproveitar a oportunidade para registrar nesta tribuna, vários Parlamentares vieram muitas vezes reclamar da BR-163, entre Cascavel e Barracão, na divisa com a Argentina, na divisa com Santa Catarina. Queremos parabenizar a ação do DNIT, que vem recuperando esta rodovia, nas últimas semanas a obra vem acontecendo em um ritmo até mais acelerado; ainda temos alguns problemas, mas com certeza nos próximos meses teremos a recuperação completa dessa rodovia, que é uma das mais importantes do nosso Estado do Paraná.

E também, Sr. Presidente, quero registrar a preocupação com os atingidos com a abertura das comportas da Usina de Salto Caxias, que atingiu mais de 300 propriedades rurais, causando grandes prejuízos e a Copel não vem assumindo a sua responsabilidade, que é de indenizar esses moradores, que perderam gado de leite, que perderam galpões, que perderam automóveis, máquinas agrícolas. Claro, não foi só devido à abertura das comportas, a enchente também ocasionou muitas perdas, mas a perda maior que aconteceu foi devido à falta de aviso aos moradores, para que eles pudessem evacuar a área e eles tiveram, sim, um grande prejuízo.

 

Até este momento a Copel vem negociando com somente 61 atingidos, quando na verdade são mais de 300 que terão que ser indenizados. Então, nos preocupamos muito, nós que residimos naquela região, os moradores de Nova Prata do Iguaçu foram atingidos, moradores ribeirinhos do Rio Iguaçu de Realeza, moradores do Município de Capitão Leônidas Marques e também do Município de Capanema.

Então, pediríamos à direção da Copel que olhe essa situação, pediríamos ao Governador Beto Richa que cobre da Copel, que ele atenda a reivindicação desses produtores rurais e faça a indenização que lhe é devida, porque sem dúvida nenhuma a falta de competência de quem estava manuseando aquelas comportas naquele momento foi avassaladora. O prejuízo foi muito grande, foi algo assim que não dá para descrevermos o que aquelas famílias estão passando. Depois de todos esses meses, algumas famílias não conseguiram ainda retomar a sua vida normal, não conseguiram retomar as suas atividades. Então, são questões que precisamos resolver e nós, como Parlamentares do nosso Estado do Paraná...

 

Cabe a nós reivindicarmos tanto a melhoria nas rodovias como a indenização a esses moradores que foram atingidos com a abertura das comportas da Usina de Salto Caxias.

 

E também quero dizer, Sr. Presidente, que entendo que não é por falta de recursos que a Copel está deixando de atender os atingidos. O lucro foi grande e recentemente tivemos um aumento absurdo na conta de luz do cidadão, na conta de luz do industrial, do empresário, da dona de casa, todos nós estamos pagando uma conta de luz absurda, algo que está machucando a economia deste Estado. Penso que a Copel, por ser uma empresa de capital estadual, uma empresa pertencente ao Estado, como acionista, lógico, ela não teria o direito de dar um aumento tão absurdo. Num momento onde o setor produtivo, o setor industrial desse Estado, já vem pagando altos impostos, altos tributos, e ainda é penalizado com uma conta de luz que é um verdadeiro absurdo para o cidadão paranaense.

 

Obrigado, Sr. Presidente, Sras. Deputadas e Srs. Deputados.