Get Adobe Flash player
Home Notícias Luersen defende manutenção de alimentação para servidores da saúde

Luersen defende manutenção de alimentação para servidores da saúde

altalt

    O líder do PDT na Assembleia Legislativa, deputado estadual Nelson Luersen, participou nesta terça-feira (21/11) de reunião da Comissão de Saúde da Casa que discutiu a decisão da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) de cortar, a partir do próximo dia 30, o fornecimento de alimentação aos servidores da área que não trabalham em regime de plantão nos hospitais e demais unidades da Pasta. A Sesa alega que a medida foi adotada em atendimento a uma normativa do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

    Segundo o Sindicato dos Servidores Estaduais da Saúde do Paraná (Sindisaúde/PR), a medida retira um direito que vem sendo mantido há mais de 30 anos. Além disso, explica a entidade, muitos locais de trabalho em que esses servidores atuam são distantes da área urbana e sem acesso a qualquer opção de alimentação. Além disso, recentemente a secretaria também proibiu a entrada de servidores com marmitas em instalações hospitalares, alegando risco de contaminação do ambiente. Ambas as medidas atingiriam, inclusive, servidores que cumprem jornadas de trabalho de 8 horas diárias.

    "Recentemente, o Tribunal de Contas aprovou as contas do governo Beto Richa de 2016, com 14 ressalvas, nove determinações e três recomendações, em razão de irregularidades graves, como o não recolhimento das contribuições patronais para o fundo de previdência dos servidores estaduais. Além disso, os servidores já estão sem reajuste salarial, podendo ficar até dois anos sem reposição da inflação, segundo o que pretende o governo", lembrou Luersen. "Achamos que o tribunal deveria rever essa normativa, pois negar alimentação a servidores da saúde - que além disso não podem levar suas marmitas de casa em razão do risco de contaminação do ambiente hospitalar - representaria mais um retrocesso inaceitável", defendeu o deputado.

 

    Na reunião, ficou acertado que representantes da Sesa e do Sindisaúde devem se reunir nos próximos dias com técnicos do TCE para negociar uma saída para o impasse.